Conheça sua cerveja: Malte

Continuando nossa série pelos ingredientes da cerveja (a primeira parte, sobre lúpulo, pode ser lida aqui), hoje é a vez do Malte! Aí vem nosso amigo conhecedor de tudo e fala que se é Puro Malte é boa. Pois é, quando ele falar isso você lembra da gente, do texto, toma um gole, respira fundo e começa seu show de conhecimento sobre esse tal de Malte.

A primeira coisa a saber é: o que é o malte. Na verdade ele é consequência de um processo conhecido como Maltagem, e se forma a partir da transformação de um cereal. As sementes do cereal são colocadas de molho em água fria, a uma temperatura de aproximadamente 10º C. Quando o grão absorveu o máximo de água que poderia, inicia a germinação e, a partir deste ponto, ele produz enzimas que quebram parcialmente as proteínas e os amidos. Técnico, sim! Mas é nesse ponto que temos o Malte Verde que, após a torrefação (ou secagem), se torna a matéria prima para a fabricação da cerveja.

[Pausa para uma curiosidade: o malte serve para produção de muitas bebidas mas, convenhamos, depois da cerveja o Ovomaltine, que também tem o malte como base, (malte, cacau, leite e ovo) vem logo atrás!]

É na etapa de torrefação que são determinados a cor, o aroma, sabor e outras características que influenciam completamente na cerveja. As principais são:

 

  1. Cor: lembra das siglas EBC e SEM? Elas descriminam o grau da torra do malte. Quanto mais se torra o malte, mas escura a cerveja se torna.

 

  1. Aroma e Sabor: com muita variação (caramelo, chocolate, café, etc.), depende também do grau da torra.

 

  1. Corpo: o corpo da cerveja vai depender do tipo de grão utilizado na maltagem. Podem dar mais textura, trazendo sensação de cremosidade.

 

  1. Espuma: todo esse processo ajuda na formação de uma rede de espuma que retém o gás carbônico e  não deixa ele escapar.

 

Além disso tudo (para alguns essa é a parte mais importante), é nesse processo de Maltagem que o fermento irá converter os açúcares criados no tão precioso álcool.

Tome mais um gole, pois agora temos outra parte importante: com essa diferença de intensidades e temperaturas de secagem, surgem os maltes diferentes. A famosa Pilsner, por exemplo, apresenta um malte com características suave, leve e doce, graças à secagem dos grãos a temperaturas mais baixas. Já o tradicional malte de Munique, tem um processo mais intenso de secagem, o que lhe traz coloração mais escura e sensação aromática de pão fresco.

O que poucos sabem é que a maioria das cervejarias não produz o malte, elas compram pronto de fornecedores específicos e seguem uma Tabela de Tipos de Malte que ajuda a compreender o aroma e sabor que aquele malte irá proporcionar e desenvolver melhor a cerveja. Abaixo mostramos um exemplo das informações de um tipo. Para quem quer conhecer todos eles, pode clicar aqui.

 

Tabela de Malte

 

E aí, está gostando da aula? Quer aprender um pouco mais até o próximo encontro com o Sr. Sabe Tudo? Então foge dele nesse carnaval que na próxima quarta iremos falar sobre os tipos de grãos utilizados na Maltagem, leis e, finalmente, sobre Puro Malte. Enquanto isso, tomes mais vários goles, que nós te acompanhamos!

X
- Insira seu local -
- or -
Beercapp

Este site é dedicado à comercialização de cervejas artesanais.

Você é maior de 18 anos?


Não
Beercapp
Comparar ítens
  • Total (0)
Comparar
0